New item
DAE
dgert
ordem

DOWNLOAD DA REVISTA

COMPETÊNCIAS DE SUPERVISÃO VERSUS DETERMINANTES SOCIODEMOGRÁFICOS E DO CONTEXTO PEDAGÓGICO
Skills of Supervision versus Sociodemographic Determinants and the Pedagogical Context
Competencias de Supervisión versus Determinantes Sociodemográficos y del contexto pedagógico
Madalena Cunha; Ernestina Silva;  Daniel Silva; Rosa Martins; José Costa; Susana André; Isabel Bica; Olivério Ribeiro; Ana Andrade

PERSPECTIVAS DOS ENFERMEIROS GESTORES. VERSO NECESSIDADES FORMATIVAS
Perspectives of nurse managers. Versus formative needs
Perspectivas de las enfermeras gerentes. Necesidades de entrenamiento de versos
Marlene Rutilia Serpa Morais Ribeiro

A METODOLOGIA E A PESQUISA DA VIOLÊNCIA: REVISÃO INTEGRATIVA
Methodology and violence research: an integrative review
La metodología y la investigación de la violencia: revisión integrativa
Ana Sá Fernandes

O LAZARETO DE LISBOA PARA CONTER A CÓLERA, A FEBRE-AMARELA E A PESTE BUBÓNICA
El Lazareto de Lisboa para contener el cólera, la fiebre amarilla y la peste bubónica
The Lazareto of Lisbon to contain cholera, yellow fever and bubonic plague
Paulo Joaquim Pina Queirós; Patrícia Freitas Pereira; Marina Baptista Pereira

EQUIPA DE EMERGÊNCIA MÉDICA INTRA-HOSPITALAR: IMPACTO NO DOENTE CRÍTICO: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA
DA LITERATURA
Equipo intrahospitalario de emergencias médicas - impacto en los enfermos críticos: una revisión de literatura sistemática
Intrahospital medical emergency team - impact on the critical sick: a systematic review of the literature
Bruno Parra; Isabel Santana; Luísa Sanhudo; Pedro Luís

EDITORIAL
As lesões musculosqueléticos continuam a ser um flagelo para a saúde dos cidadãos europeus, onde se incluem os portugueses. Estes problemas de saúde pública mantem prevalências elevadas e estão, na maioria dos casos, relacionadas com a atividade profissional (LMERT), apesar das campanhas que têm sido realizadas nos diversos países da União Europeia (EU-OSHA, 2019).
De fato, apesar de se conhecer muito bem a maioria dos fatores de risco associados a este fenómeno, nomeadamente fatores físicos, individuais, organizacionais e psicossociais, as estratégias e medidas adotadas nos diversos níveis (político, empresarial, trabalhador) têm sido pouco efetivas.
Os profissionais de saúde em geral, e a enfermagem em particular, são dos trabalhadores que mais sofrem com este problema, em que comprovadamente se observam as prevalências mais elevadas, próximos das prevalências observadas nas áreas de agricultura, construção e pescas, principalmente a nível da coluna vertebral lombar, ombros e membros superiores, acompanhadas de diversas consequências que podem incluir desconforto e dor nas referidas regiões corporais, mas também incapacidades e absentismo, para além de todos os reflexos a nível económico e social.
Os riscos relacionados com a postura, a exposição a movimentos repetitivos ou a posições cansativas ou dolorosas, a elevação ou deslocação de cargas pesadas, estão entre os riscos mais frequentes e onde se têm focado mais as estratégias e medidas de prevenção, mas sem os resultados desejados. Atualmente, já não existem dúvidas sobre a evidência do peso que os fatores individuais, organizacionais e psicossociais contribuem para o desenvolvimento das LMERT.
Neste contexto, e tendo em conta as mudanças e tendências em termos demográficos, organizacionais e estilos de vida, um novo paradigma de intervenção preventiva deve ser adotado, onde os referidos fatores devem ser integrados na avaliação ergonómica e na vigilância da saúde do trabalhador, envolvendo todos os atores no processo, pretendendo-se uma participação mais ativa nas decisões.
Os serviços de saúde ocupacional/saúde do trabalho das instituições de saúde devem ter uma atuação mais dinâmica e empenhada no estudo e investigação das condições de trabalho que conduzem e contribuem para os números epidémicos deste problema que se continuam a observar a nível nacional e internacional.
A campanha da EU-OSAH para o período de 2020-2022 concentra-se na prevenção de LMERT.
Vamos todos estar mais atentos, participar neste desígnio e contribuir para que exista uma verdadeira CULTURA DE PREVENÇÃO DE LMERT nos diversos contextos profissionais dos enfermeiros, através do desenvolvimento de projetos bem estruturados e de qualidade e rigor científico, de preferência de cariz experimental, e que possam comprovar a efetividade das diversas intervenções na prevenção e diminuição deste problema de saúde pública que afeta cada vez mais a saúde e qualidade de vida dos cidadãos e trabalhadores.

Arménio Cruz