SINAIS VITAIS 123

 

 DOWNLOAD DA REVISTA

SUMÁRIO

  • Capacitação do Utente Submetido a Prostatectomia Radical no Regresso a Casa
  • Construção do instrumento de avaliação do risco de queda da criança hospitalizada: "Sempre em Pé"
  • TERAPIA COMPRESSIVA: TEORIA PARA A PRÁTICA
  • INTERVENÇÃO DE ENFERMAGEM JUNTO DA PESSOA COM AVC E SUA FAMILIA
  • ULCERA DA CÓRNEA
  • Evolução da rede de cuidados continuados integrados em Portugal

 

EDITORIAL

Estive na Guiné, a convite da Diocese de Bissau, numa missão para avaliar de que forma ajudar aquele povo a ter melhores cuidados de saúde que permitam mais progresso e desenvolvimento social e económico.
Temos a noção de que aquele é um estado em constante ebulição, com sistemáticas crises políticas com repercussões na forma como são geridos os bens públicos. Temos a noção, porque é disso que a comunicação social dá eco, que aquele é um narco-estado, que existe muito tráfico. O que vi é que este é um povo que necessita de ajuda, vivem em situação de grande pobreza, sem acesso aos bens sociais mais elementares como os cuidados de saúde de qualidade, e quando me refiro a qualidade não estou a falar de alta diferenciação técnica e tecnológica, antes estou a falar das condições básicas como a alimentação, a higiene e a formação dos profissionais.
Vim com uma responsabilidade ética acrescida, uma vontade enorme de ajudar aquelas crianças que não têm culpa de ter nascido naquele ponto do globo. Sei que sozinho não é possível, mas os portugueses sempre tiveram um forte espirito solidário. Demonstrámo-lo em muitos momentos na história. Ser solidário não significa apenas dar dinheiro ou bens que nos sobram. Ser solidário é dar o que este povo necessita: - educação / formação, cuidados de saúde e tudo o que com isto se relaciona.
Estou a escrever este editorial com este tema para que, na medida das possibilidades de cada um, possamos ajudar. Neste altura um enfermeiro com experiência em cuidados intensivos pediátricos seria importante para a formação de enfermeiros que num hospital pediátrico o solicitaram.
Quanto ao tráfico, não me parece que este seja um problema que impeça a ajuda.
Este povo necessita de renovar a esperança de futuro. Para isso é necessário que quem ajude o faça com esperança de que o que está a fazer tem repercussões e produz resultados.
Vamos ajudar.